Frações Financeiras 12- Perdi muito em um fundo de Petrobrás, o que faço agora?

“Há quase3 anos (25/11/2009) fiz uma de aplicação no Banco Santander (R$ 20.000,00) num fundo de ações da Petrobras administrado pelo Banco (FIC PETROBRAS 2 AÇÕES). Não acompanho isto, mas agora fui verificar e minhas cotas estão com valor de menor de R$ 9.000,00. Fiquei preocupado. Tem alguma coisa que eu deva fazer. A taxa de administração do fundo é 4%.”

Acho interessante fazer alguns comentários sobre sua questão. Vamos começar pelo gráfico abaixo onde se encontram as cotações ajustadas da ação. Infelizmente, parece-me que a entrada no fundo se deu em data muito próxima ao preço mais alto atingido pela ação, chamamos de “pico”, nos últimos anos. Se imaginarmos que o preço da ação caiu quase 50% da data da aplicação até hoje e que o administrador cobrou 4% no primeiro ano, 4 % no segundo ano e já acumula quase 3% nesse ano, chegamos à perda que você constatou.

 Qual era seu objetivo? Qual é seu objetivo atual?

Geralmente, a compra de ações é aconselhada para aquele recurso que você pode perder e que você vai deixar por prazo superior a mais ou menos 5 anos. Se seu objetivo era de longo prazo e continua sendo, não há nada errado em sofrer um revés e esperar o retorno do preço a um nível que te dê lucro.

No entanto, sua reavaliação precisa responder, ainda, duas questões: se você ainda acredita na empresa e se esse fundo é o melhor veículo para sua aplicação.

Qual é o risco do mercado de ações? Qual é o risco de entrar de uma só vez?

O mercado de ações é sabidamente um mercado de risco: depende das empresas e depende demais do humor das pessoas quanto ao futuro. Claramente o momento atual, julho de 2012, não é de otimismo e as expectativas inclinam-se mais para uma trombada na Europa do que para uma recuperação na economia mundial.

Além disso, é preciso tomar cuidado na compra, na entrada no mercado. Se queremos aplicar 50 mil reais, é prudente comprarmos perto de 3 mil por mês, ao longo de 1 ou 2 anos. Por quê? Para não corrermos o risco de comprar tudo no preço máximo de um período e depois passarmos anos amargando prejuízo.

Todo mundo fala para não sair na baixa e ninguém fala para entrar aos poucos. Esse método diminui muito o risco. Se, além disso, não colocarmos na bolsa dinheiro que não podemos perder, aumentamos nossas chances de agüentar um prejuízo por algum tempo para tentar obter ganhos superiores aos da renda fixa.

Qual é a taxa de administração que o banco te cobra?

A taxa de administração de um fundo é cobrada pelo administrador para custear suas despesas e para ter lucro. A taxa é cobrada sobre o patrimônio do fundo e independe do fundo gerar lucro ou prejuízo. As taxas de administração no Brasil estão caindo, mas ainda são muito altas. Desnecessário reforçar que 4% ao ano para comprar ações de Petrobrás e deixar na carteira é um completo absurdo.

Qual é a perspectiva para Petrobrás agora?

Embora o mercado esteja castigando demais as ações da empresa, não acredito que seja uma má aplicação. A empresa é importante, detém um mercado cativo enorme e pode dar muitas alegrias ao investidor. Eu não sairia de Petrobrás nesse momento.

O que fazer então?

Bem, acho que já ficou claro que o preço cobrado pelo administrador está muito acima do que seria razoável. Restam duas saídas: sair de vez e comprar renda fixa, gosto do Tesouro Direto, ou sair do fundo e comprar ações da própria Petrobrás em uma corretora de valores, que tenha custos aceitáveis.



 

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>