Frações Financeiras 13- Você compraria uma NTN-F 2023 a 10,95% ao ano?

O sítio do Tesouro Direto mostrava, no dia 30/07/2013, uma Nota do Tesouro Nacional série F à venda, para vencimento em 01 de janeiro de 2023, pelo valor de R$ 956,38, o que implica uma taxa de 10,95% ao ano. Seria um bom negócio?

O que é uma NTN-F?

Uma NTN-F é um título emitido pelo governo brasileiro. Em outras palavras, o governo toma emprestado das pessoas e empresas para fazer frente às suas despesas e aos seus investimentos, e reembolsa o valor emprestado, acrescido de juros, na data de vencimento.

Quais as características dessa NTN-F?

Essa nota é prefixada, ou seja, sua taxa é determinada na emissão e não varia ao longo de sua vida. A NTN-F 01/01/2023 foi emitida com um valor de face de R$ 1.000,00 e um cupom fixo de 10% ao ano. Os juros pagos a cada semestre são calculados de modo exponencial: 1,10 elevado a 0,5 menos 1 multiplicado por R$ 1.000. Desse modo, cada título pagará juros de R$ 48,81, todo dia 01 de janeiro e todo dia 01 de julho. No vencimento, em 2023, haverá o último pagamento dos juros (R$ 48,81) e o pagamento do principal R$ 1.000,00. Veja o diagrama de fluxos de caixa dessa NTN-F.

fluxo NTNF

Por qual razão o título está rendendo 10,95 e não 10%?

A taxa de mercado para esse prazo está acima de 10% ao ano, isso faz com que os negócios ocorram com deságio, ou seja, o preço é um pouco inferior ao valor de face do título. Comprar com deságio torna o rendimento maior do que a taxa fixada no título.

Se o mercado estivesse abaixo de 10%, digamos 9% ao ano, o papel seria negociado com ágio, valor acima do valor de face do papel para proporcionar ao comprador um rendimento compatível com o que o mercado está negociando, no nosso exemplo 9% ao ano.

É bom negócio?

Se você imaginar que a taxa Selic está em 8,5% ao ano e pode parar de subir nas próximas reuniões do Copom, parece ser bom negócio comprar um papel que rende quase 11% ao ano. O problema é que conhecemos a taxa Selic de hoje e do futuro próximo, mas não conhecemos a taxa Selic dos próximos anos.

Podemos perder dinheiro?

Sim. Vamos separar em duas as possibilidades de perder.

No primeiro caso, mantemos o título até o resgate, a inflação sobe nesses anos até o vencimento do título e o Banco Central é obrigado a subir muito a taxa de juros. Nesse caso, estaremos com nossos recursos presos a um papel que rende menos do que a taxa corrente e se a inflação no período for superior ao rendimento líquido do título, perderemos da inflação. Teremos menos poder de compra, no vencimento, do que temos hoje.

No segundo caso, ao vermos as taxas subindo nos desfazemos do título no mercado. Nesse evento se a taxa exigida pelo comprador do papel for superior aos 10% podemos terminar por receber menos do que pagamos.

Em que caso ganhamos?

Se o governo for bem sucedido no controle da inflação e em sua estratégia de baixar os juros reais, teremos juros, nos próximos anos abaixo de 10%. Teremos conseguido uma aplicação de longo que estará rendendo acima de todas as outras e, se formos vender o título, receberemos um aumento no preço porque o comprador aceitará a taxa de mercado que estará bastante abaixo dos 10%.

Trata-se, portanto de uma aplicação com risco, porque sofre o impacto dos juros de mercado e da taxa de inflação. Você compraria esse papel?

 Veja mais em www.f2br.com/cesarlocatelli e www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto .

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>