Frações Financeiras 18 – 30 Lembretes para o exame de certificação CFP

Vamos avaliar os assuntos nos quais precisamos concentrar nossos estudos? Os lembretes que seguem passam por todos os temas do planejamento financeiro pessoal.

1.  A lei que trata do crime de lavagem de dinheiro foi modificada em 2012. Os crimes que dão origem aos recursos não são mais definidos na lei. Agora, recursos oriundos de qualquer infração penal são incluídos na lei. “Ocultar ou dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de infração penal”, são considerados crimes.

2. As medidas de política monetária tomadas pelo Banco Central buscam (1) aumentar a quantidade de moeda em circulação e facilitar o crédito quando o objetivo é incentivar o crescimento econômico ou (2) diminuir a quantidade de moeda em circulação e dificultar o crédito quando o objetivo é deter um crescimento muito acelerado e com risco de provocar inflação alta.

3. Current Yield de um título é a divisão dos juros pagos pelo título no ano por seu preço atual de mercado. Yield to Maturity de um título é equivalente à sua taxa interna de retorno.

 4.  Para calcular a duration de Macaulay de um título somamos os valores presentes de cada fluxo multiplicado pelo seu respectivo prazo em anos. A duration de Macaulay é essa soma dividida pelo preço de mercado do título. Para chegarmos à duration modificada dividimos o resulta anterior pela taxa de mercado dividida por 100 somada a 1. Essa é a duration mais usada e indica a variação no preço do título para cada 1% de variação na taxa de juros de mercado.

 5. Títulos Públicos: Uma LFT rende a taxa Selic, uma NTNB rende IPCA mais juros, uma LTN é pré-fixada e uma NTNF é pré-fixada e para juros semestrais. Os títulos pré-fixados perdem com uma subida de juros. O título indexado ao IPCA protege da inflação. A LFT Acompanha a taxa básica de juros.

6. Cédulas de Crédito Bancário são emitidas por pessoas físicas e jurídicas não financeiras que tomam empréstimos. Cédulas de Produtor Rural são emitidas pelos produtores rurais ou cooperativas que tomam empréstimos. As cédulas, em geral, não são emitidas por instituições financeiras.

 7. Os acionistas têm direito de receber como dividendo obrigatório, em cada exercício, a parcela dos lucros estabelecida no estatuto da empresa ou, se este for omisso, metade do lucro líquido do exercício deve ser distribuído, ajustado por formação ou reversão de reservas. A definição nos estatutos não está obrigada a adotar um percentual mínimo.

 8. Para aderir ao Novo Mercado as empresas (1) só podem ter ações ordinárias, (2) o preço por ação proposto para aquisição do controle deve valer para todos os acionistas (tag along), (3) o percentual mínimo de ações em circulação deve ser 25%, (4) o conselho deve ter um mínimo de 5 membros, com pelo menos 20% independentes, (5) devem publicar seus demonstrativos financeiros em US GAAP ou IFRS, e (6) devem aderir à Câmara de Arbitragem para solução de conflitos.

 9. Uma opção de compra dá a seu comprador o direito de comprar o ativo por um preço determinado se assim quiser. O vendedor fica sujeito à decisão do comprador e é obrigado a vender o ativo pelo preço determinado se o comprador assim decidir.  Uma opção de venda dá a seu comprador o direito de vender o ativo por um preço determinado se assim quiser. O vendedor fica sujeito à decisão do comprador e é obrigado a comprar o ativo pelo preço determinado se o comprador assim decidir.

 10. O delta de uma opção representa o quanto o prêmio da opção muda em função de uma mudança do preço à vista do ativo.

 11. O Dow Jones Industrial Average (DJIA) é simplesmente a soma dos preços das 30 maiores e mais influentes empresas americanas. Não há ponderação de qualquer tipo. O índice Standard & Poors 500 (S&P 500) é o benchmark escolhido pela maioria dos administradores de fundos de ações internacionais. Os critérios para uma ação fazer parte do índice são: valor de mercado, liquidez da ação, public float, entre outros.

12. O VIX – Volatility Index – é a medida da volatilidade implícita das opções sobre o índice S&P 500. É vulgarmente designado o índice do medo porque representa uma medida das expectativas do mercado em relação à volatilidade dos 30 dias seguintes.

 13. Nos FDICs admite-se a emissão de cotas seniores que não se subordinam às demais para efeitos de amortização e resgate. Terão prioridade no resgate.

 14. O FII é uma comunhão de recursos captados por meio do sistema de distribuição de valores mobiliários e destinados à aplicação em empreendimentos imobiliários. O fundo será constituído sob a forma de condomínio fechado e poderá ter prazo de duração indeterminado. Os FII deverão distribuir a seus cotistas, no mínimo, 95% (noventa e cinco por cento) dos lucros auferidos, apurados segundo o regime de caixa. Tais lucros, quando distribuídos a qualquer beneficiário, inclusive pessoa jurídica isenta, sujeitam-se à incidência do imposto sobre a renda na fonte à alíquota de 20%. As pessoas físicas ficam isentas do imposto de renda quando (1) as cotas sejam admitidas à negociação exclusivamente em bolsas de valores ou no mercado de balcão organizado, (2) o fundo possua, no mínimo, 50 cotistas e (3) cotista não detenha mais de 10% da totalidade das cotas emitidas.

 15. Sujeitam-se à incidência do imposto sobre a renda na fonte, à alíquota de 0,005% sobre os seguintes valores: (1) nos mercados futuros, a soma algébrica dos ajustes diários, se positiva, apurada por ocasião do encerramento da posição, antecipadamente ou no seu vencimento; (2) nos mercados de opções, o resultado, se positivo, da soma algébrica dos prêmios pagos e recebidos no mesmo dia; (3) nos mercados a termo: a) quando houver a previsão de entrega do ativo na data do seu vencimento, a diferença, se positiva, entre o preço a termo e o preço a vista na data da liquidação; b) com liquidação exclusivamente financeira, o valor da liquidação financeira previsto no contrato; (4) nos mercados a vista, o valor da alienação, nas operações com ações, ouro ativo financeiro e outros valores mobiliários neles negociados.

 16. O CAPM (Capital Asset Pricing Model) é um dos conceitos importantes de gestão de carteiras, pois permite estabelecer a relação esperada entre o risco de um ativo e seu retorno esperado. O CAPM é utilizado como benchmark, para comparar investimentos diferentes, que podem oferecer um retorno acima ou abaixo da média para um dado nível de risco. A equação do CAPM é escrita com mais freqüência, na forma  rE = rRF + β * (rM – rRF).  Onde  rM é o retorno do mercado; rRF é retorno do ativo livre de risco; rE é o retorno esperado do ativo; β é a sensibilidade em relação a movimentos do mercado.

 17. Beta (β) é uma medida muito importante que demonstra a sensibilidade do ativo em relação ao índice de referência ou seu benchmark. Através do Beta é possível estimar a tendência de comportamento do investimento em relação ao seu benchmark, geralmente representado pelo Ibovespa no Brasil. O cálculo do é βA = COV [A,M]/VAR[M]. Onde: (1)  βA é o Beta do Ativo A; (2) COV[A,M] é a covariância entre os retornos do Ativo A e os retornos do  benchmark e (3) VAR[M] é a variância dos retornos benchmark.

 18. O Código Civil estabelece que a indenização paga ao(s) beneficiário(s) em razão da morte do segurado, seja no seguro de vida (morte) ou de acidentes pessoais (morte por acidente), não é considerada herança e não está sujeita a pagamento de eventuais dívidas deixadas pelo segurado. Sendo assim, uma das vantagens do seguro de vida é a liberação da indenização ao(s) beneficiário(s) independentemente do inventário e com isenção do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e do Imposto de Renda.

 19. O seguro de vida difere do seguro de acidentes pessoais no seguinte aspecto: no seguro de vida a cobertura se dá por morte por causa natural ou acidental, enquanto a cobertura de morte por acidente, como o nome diz, é válida somente para o caso de morte causada por acidente coberto pelo plano.

 20. O seguro prestamista garante a quitação de uma dívida ou de planos de financiamento do segurado no caso de sua morte ou invalidez ou até mesmo desemprego involuntário ou perda de renda.

 21. Na meação, o cônjuge:

- é dono da metade de todos os bens na Comunhão Universal.

- é dono de metade do que foi adquirido durante o casamento na Comunhão Parcial

- não é dono de nada no regime de Separação de Bens.

- será dono da metade do que foi adquirido quando e se o casamento terminar ou o outro cônjuge falecer, no regime de Participação Final nos Aquestos.

- é dono de metade do que foi adquirido durante a União Estável.

 22. Na herança, o cônjuge não concorre com os descendentes se: (1) estiver separado do falecido, (2) o casamento for com comunhão total de bens, (3) o casamento for com separação obrigatória de bens (4) o casamento for com comunhão parcial e não houver bens particulares do falecido.

 23.  A alienação de bens ou direitos e a liquidação ou resgate de aplicações financeiras adquiridos, a qualquer título, em moeda estrangeira, bem assim a alienação de moeda estrangeira mantida em espécie, de propriedade de pessoa física, estão sujeitos à apuração de ganho de capital no exterior. A Alíquota é de 15% e a tributação é definitiva.  A Base de Cálculo será a diferença entre Custo de Aquisição e Valor da Alienação. O custo de aquisição será em reais se a origem dos recursos é nessa moeda. Se os recursos aplicados já estavam em moeda estrangeira o custo será em dólares.

 24. Os rendimentos recebidos de fontes situadas no exterior por residente no Brasil, transferidos ou não para o País, estão sujeitos à tributação sob a forma de recolhimento mensal obrigatório (carnê-leão), no mês do recebimento, e na Declaração de Ajuste Anual. As alíquotas são dadas pela Tabela Progressiva Mensal e há necessidade de antecipação via carnê-leão.

 25. A aversão à perda – principal conceito trabalhado pelas Finanças Comportamentais – baseia-se na constatação de que as pessoas sentem muito mais dor pelo que perdem, do que prazer com um ganho equivalente. Essa constatação opõe-se à lógica tradicional da teoria da utilidade, que supõe que, o investidor avalia o risco de um investimento, de acordo com a mudança que ele proporciona em seu nível de riqueza.

 26 Os 6 Passos do Processo de Planejamento Financeiro são (1) Estabelecer relação com o cliente, (2) identificar os objetivos, as necessidades e a situação financeira do cliente, (3) Analisar os objetivos, as necessidades e a situação financeira do cliente, (4) desenvolver estratégias e soluções apropriadas, (5) implementar o plano financeiro e (6) monitorar o plano financeiro.

 27. O Código de Ética do IBCPF é composto por 8 Princípios: – 4 Cs (Cliente em primeiro lugar, Conduta Profissional, Competência e Confidencialidade) e – IPOD (Integridade, Probidade, Objetividade e Diligência)

 28. O Profissional CFP® deverá assessorar seus clientes apenas naquelas áreas de sua competência. Nas áreas em que não for competente, o Profissional CFP® deverá buscar consultoria e/ou encaminhar os clientes para profissionais qualificados.

 29. O Profissional CFP® ocupa uma posição de confiança dos clientes e a fonte primordial dessa confiança é a honestidade, isenção e transparência do profissional de planeja-mento financeiro pessoal. Mantendo a integridade acima de tudo, o Profissional CFP® deve considerar diferenças legítimas de opinião. Integridade relaciona-se com: (1) é honesto, íntegro, inteiro; (2) não omite, não engana, não dá informações falsas; (3) não deixa  seus próprios interesses afetarem.

 30. O Profissional CFP® que descumprir os Princípios e Regras estabelecidos no Código estará sujeito à imposição das seguintes penalidades: (1) advertência privada do Conselho de Normas Éticas, através de reprimenda por escrito, não publicada, mas apontada nos registros do IBCPF e enviada diretamente ao profissional CFP®; (2) advertência pública do Conselho de Normas Éticas, a ser divulgada nos meios de comunicação do IBCPF; (3) proibição temporária, divulgada nos meios de comunicação do IBCPF, do uso das Marcas; (4) revogação do direito de uso das Marcas e exclusão do quadro de Profissionais CFP® certificados, divulgada nos meios de comunicação do IBCPF.

 Boa prova!



[1] César Locatelli é economista e mestre em economia, sócio diretor da F2 Formação Financeira e membro da comissão de educação do Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros.

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>