Frações Financeiras 25 – Afinal, o que faz o Planejador Financeiro Pessoal?

Uma revolução contra o Velho Jeito

planejamento“O planejamento financeiro começou com uma revolução contra o Velho Jeito de se fazer as coisas. O Velho Jeito era vender coisas às pessoas (investimentos, seguros de vida, às vezes moedas e diamantes) quer precisassem ou não. Um pequeno número de vendedores decidiu, ao invés de trabalhar para esta ou aquela grande firma de investimentos, trabalhar para seus clientes. “Esse movimento de guerrilha se espalhou, vagarosa e calmamente, até que finalmente amadureceu em uma nova profissão chamada planejamento financeiro”, afirma Robert Veres no prefácio de Jones (2010).

Ainda há corretores de bolsa e de seguros

Ele continua: “Contudo, ainda há corretores de bolsa e de seguros de vida que se preocupam mais em vender alguma coisa a você, do que melhorar sua vida, e provavelmente eles sempre existirão. Mas se você quer se tornar um planejador financeiro hoje, a cultura profissional requer que seu primeiro objetivo seja fazer das pessoas melhores investidores e melhorar suas vidas”.

Aconselhamento seguro

O objetivo do planejamento financeiro é prover aconselhamento seguro e coordenado para as pessoas e famílias. (RATTINNER, 2010)

Seis passos do CFP Board

Jones (2009) enfatiza a dificuldade de se definir a função de Planejamento Financeiro. Ela inicia com o Processo de Planejamento Financeiro dado pelo CFP Board of Standards1 composto pelos seguintes passos:

- Estabelecer e definir a relação cliente-planejador;

- Reunir dados dos clientes e seus objetivos;

- Analisar e avaliar o status financeiro do cliente;

- Desenvolver e apresentar recomendações e alternativas de planejamento financeiro;

- Implantar as recomendações;

- Monitorar as recomendações.

Uma primeira e incompleta definição

Ela observa que, na verdade, o CFP Board nos revela um processo e não uma definição universal da profissão. A definição seguinte é qualificada por ela como a ponta de um iceberg e foi obtida no sítio InvestWorld: “Planejador Financeiro: Um profissional de investimentos que auxilia indivíduos a estabelecer e alcançar objetivos de longo prazo, através de investimento, planejamento tributário, alocação de ativos, gerenciamento de riscos, plano de aposentadoria e planejamento imobiliário”.

Serviços com sensibilidade

Jones (2009) apresenta a definição de Frank Sisco2 que considera apresentar melhor o conceito que quer transmitir: “Os serviços financeiros com sensibilidade são serviços de consultoria de finanças pessoais e planejamento que são fornecidos aos clientes de modo a serem adequados aos sentimentos, necessidades, objetivos, temperamento, experiências, questões familiares, valores, filosofias sobre a vida e contexto financeiro”.

Como ganham os planejadores

Os planejadores financeiros podem ganhar dinheiro de três formas: comissões sobre a venda de produtos financeiros, porcentagem sobre os ativos que investem ou cobrança por hora de trabalho (o que também pode ser feito por um valor fixo). (TYSON, 2010)

Ele aconselha que a opção seja feita por planejadores que trabalhem por hora. Esse tipo de consultor não vende produtos financeiros e não gerencia recursos. Ele terá objetividade ao indicar as melhores decisões para empréstimos, planos de aposentadoria e seleção de bons investimentos.

Conflito de Interesses

Nos últimos tempos muitos bancos têm “consultores financeiros” que, na verdade, são vendedores de seus produtos. Há evidente conflito de interesses em casos onde o interesse do consultor se direciona para produtos com maior retorno para ele.

Como o planejador pode ajudar

Tyson (2010) acrescenta que um bom planejador financeiro pode ajudar:

- na identificação de problemas e objetivos;

- na identificação de estratégias para atingir seus objetivos financeiros;

- na definição de prioridades;

- na economia de tempo de pesquisa e discussão;

- na compra de produtos sem comissão;

- na objetividade para tomada de decisões importantes;

- na execução do plano, na mediação entre sócios e casais;

- na melhoria dos rendimentos e

- no conforto de colocar sua vida financeira em ordem.

Representante da Honda como consultor de transportes

Tyson (2010) qualifica firmemente a diferença entre um corretor financeiro ou de seguros e um planejador financeiro: “Planejadores que recebem comissões não são planejadores, consultores ou conselheiros de verdade – eles são vendedores”. E completa: “Um corretor de bolsa referindo a si mesmo como um consultor financeiro é como um representante da Honda se denominando consultor de transportes”.

150 programas CFP em universidades americanas

Em 2007 havia 150 programas registrados no CFP Board tanto de faculdades e universidades pelos Estados Unidos, quanto por programas online com acesso de qualquer lugar do mundo. “Infelizmente muitas aulas são simplesmente preparadas para ajudá-lo a passar no exame, não para ensiná-lo as habilidades de um planejador financeiro”. (JONES, 2010)

 

Notas

1 Certified Financial Planner Board of Standards, Inc (CFP Board) é uma organização sem fins lucrativos voltada para a certificação e estabelecimento de padrões, cuja missão é beneficiar o público através da certificação de pessoas com o título de Certified Financial Planner e assegurar essa certificação como símbolo de ética e competência.

2 Frank Sisco é um Certified Public Accountant (CPA) e um Personal Financial Specialist. Seu artigo: Sensitive Financial Services encontra-se no anexo A de Jones (2009).

 

Referências:

JONES, Nancy Langdon. So you want to be a Financial Planner. Sunnyvale, AdvisorPress, 2009. 290 p.

RATTINER, Jeffrey H. Rattiner’s Review for the CFP Certification Examination. New Jersey, Wiley & Sons Inc., 2009. 450 p.

TYSON, Eric. Personal Finance for Dummies. New Jersey, Wiley Publishing Inc., 2010. 458 p.



[1] César Locatelli é economista e mestre em economia. É sócio diretor da F2 Formação Financeira, certificado CFP® e membro da comissão de educação do Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros.

 

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>