Frações Financeiras 40 – Nossas manias nas decisões de investimento

“A lista das manias que as pessoas exibem em seus investimentos é bastante longa”. Desse modo Cronqvist e Siegel iniciam seu trabalho recente sobre causas dos vieses, dos julgamentos enviesados, que temos quando investimos.

 Você vê alguma dessas manias em você?

 Diversificação inadequadadinheiro saindo pela janela

Há evidências consistentes que indicam preferência por investimentos em mercados mais próximos. Desse modo, concentra-se em ações de empresas locais, por exemplo, não atingindo a diversificação mais adequada para a carteira.

Excesso de transações

Os indivíduos fazem muito mais transações do que seria racionalmente justificável. Essa propensão tem sido relacionada com excesso de confiança e com busca de emoções.

Relutância em vender com prejuízo (Disposition Effect)

Pesquisas indicam que as pessoas têm clara inclinação a reter investimentos com prejuízo e a se desfazer de investimentos com lucros. Uma tentativa de explicar essa predisposição é que o abalo emocional de uma perda supera muito a satisfação de ganhar. Em outros termos, desgostamos mais dos prejuízos do que gostamos dos lucros

Caça a desempenho passado (Performance Chasing)

Mesmo tendo lido, inúmeras vezes, que o desempenho passado não é garantia de desempenho futuro, os investidores optam por ações e fundos que tiveram bom ganho recente. O ponto crucial é que optam por essas aplicações sem evidências que apóiem sua decisão. Estudos empíricos demonstram que essa estratégia de seleção de investimentos pode ser bastante prejudicial para os retornos do investidor.

Preferência por retornos assimétricos (Skewness Preference)

“O desejo de apostar tem raízes profundas na psique humana”, declara Alok Kumar. O investidor tem preferência por ações ou fundos que se assemelham a loterias ou jogos de azar. A distribuição de retornos desses jogos tem caudas longas para a direita, indicando que existe a possibilidade de altíssmos ganhos, com baixíssima probabilidade. A atração por esses ganhos parece irresistível, mesmo com probabilidade muito baixa. A explicação sugerida para esse fato é que as pessoas superestimam a probabilidade de ocorrência de eventos extremos, como altos ganhos, e subestimam a probabilidade do resultado ficar na média ou próximo dela.

O viés de otimismo

O viés de otimismo ou excesso de otimismo nos faz crer que corremos menos risco, do que outras pessoas, de ter um evento negativo. Achamos que nossas aplicações no mercado financeiro tem menor chance de perda do que realmente tem. Cálculos excessivamente otimistas podem nos levar a erros desastrosos, como apostar muito mais do que seria prudente em investimentos de alto risco.

Para se aprofundar um pouco mais recomendo:

1. Cronqvist, H., Siegel, S., 2012. Why Do Individuals Exhibit Investment Biases? Disponível em: http://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2009094. Acesso em 23/02/2012.

2. Kahneman, D., Tversky, A., 1979. Prospect theory: An analysis of decision under risk. Econometrica 7 (2), 263{292. Disponível em http://3xfund.com.cn/images/article008.pdf. Acesso em 23/02/2012.

3. Kumar, A., 2009. Who gambles in the stock market? Journal of Finance 64 (4), 1889{1933. Disponível em http://www.afajof.org/afa/forthcoming/4195.pdf. Acesso em 23/02/2012.

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>