O momento da economia brasileira na visão de Tombini – 15 pontos

O texto abaixo foi extraído de discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, na Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, em 18/09/2013. Vamos aos 15 pontos:

Resultado do BC 1º. Semestre 2013

1 O Banco Central do Brasil apresentou resultado positivo de R$17,7 bilhões no primeiro semestre de 2013.

Posição vendida em swaps

2 O Banco Central, após ter liquidado todas as suas posições com swap cambial no final de março de 2013, voltou a realizar leilões desse instrumento, acumulando posição vendida em câmbio no montante de US$25,2 bilhões (equivalentes) ao final do primeiro semestre de 2013.

Transição positiva no cenário internacional

3 Em relação ao cenário internacional, o principal destaque é o processo de transição em curso na economia mundial. Diga-se de passagem, transição positiva, pois significa que a recuperação da maior economia do mundo está ganhando força e isso representará à frente maior crescimento da economia e do comércio global.

Início da normalização das condições monetárias nas economias avançadas

4 Nos últimos cinco anos, o mundo conviveu com a flexibilização das condições monetárias nas economias avançadas. A política monetária convencional foi ao extremo, com taxas de juros próximas a zero. Além disso, foram adotadas várias iniciativas não convencionais, como a injeção direta de liquidez nos respectivos sistemas financeiros. No entanto, o processo de normalização das condições monetárias nas economias avançadas já se iniciou.

Aumento na entrada de recursos de longo prazo

5 No Brasil, nos últimos anos, observamos uma mudança na composição dos ingressos de recursos estrangeiros, com o aumento dos capitais de mais longo prazo e a moderação dos capitais de curto prazo. Essa recomposição tem sido importante especialmente nesse momento de maior volatilidade nos mercados internacionais.

Nosso colchão de liquidez

6 Ao longo dos últimos dois anos, continuamos ampliando nosso colchão de segurança e de liquidez. Adicionamos quase US$90 bilhões às nossas reservas internacionais, que hoje ultrapassam US$370 bilhões.

Oferta de swaps e linhas

7 Em 22 de agosto, o Banco Central do Brasil anunciou o programa de leilões de swap cambial e de venda de dólares com compromisso de recompra. Esse programa, além de conferir previsibilidade, ofertará aos agentes econômicos proteção cambial (hedge) superior a US$100 bilhões (equivalentes), se considerarmos o montante de proteção que já foi disponibilizado. Com isso, o Real apreciou quase 8% em relação ao dólar norte-americano desde o lançamento do programa, sendo o Real destaque positivo entre as principais moedas durante esse período.

Percepção mais pessimista do que a realidade

8 Como já havia afirmado, recentemente, a percepção de muitos agentes econômicos estava – e ainda está – mais pessimista do que a realidade dos números. O produto interno bruto (PIB) do segundo trimestre de 2013 cresceu 1,5%. Isso significa um ritmo de crescimento, em termos anualizados, de mais de 6%.

Taxa de desempregos e crédito

9 A taxa de desemprego permanece em níveis historicamente baixos, e há geração de novos postos de trabalho. O crédito continua se expandindo em ritmo sustentável. Observamos nos últimos meses, inclusive, redução da inadimplência e do comprometimento de renda das famílias.

Energia, folha de pagamento e câmbio mais favoráveis à industria

10 Pelo lado da oferta da economia, observamos que a indústria apresenta retomada gradual. Em linhas gerais, as condições de competitividade desse segmento econômico estão melhores, com redução do preço de um dos seus principais insumos – a energia, além da desoneração da folha de pagamento para diversos setores e o câmbio em um patamar mais favorável para a produção doméstica.

Crescimento de 15,5% da safra de 2013

11 Por fim, o setor agrícola continua a renovar recordes de produção de grãos – ano após ano. Em 2013 a previsão para a safra brasileira de grãos é de 187 milhões de toneladas, o que representa expansão superior a 15,5% em relação à safra de 2012.

Varejo mostra perspectiva de melhora

12 O crescimento das vendas no varejo em julho deste ano, por exemplo, divulgado semana passada pelo IBGE, corrobora a perspectiva de melhora da economia e da confiança.

Há um ano IPCA estava em 4,9%

13 Em julho de 2012, ou seja, há pouco mais de um ano, o índice de preços ao consumidor amplo (IPCA) acumulado em doze meses estava em torno de 4,9%.

Inflação em patamar desconfortável

14 Os choques de oferta que observamos na sequência, primeiro de origem externa e depois de origem interna, registrados no segmento agrícola, entre outros fatores, mudaram essa dinâmica. Como consequência, embora ainda se encontre em patamares desconfortáveis, a inflação acumulada em doze meses já retomou a tendência de declínio, após alcançar o pico em junho deste ano.

Natural correção do câmbio

15 A desvalorização e a volatilidade da taxa de câmbio verificadas nos últimos meses ensejam uma natural e esperada correção de preços relativos da economia. No médio e longo prazo esse movimento beneficiará a economia brasileira. No entanto, no curto prazo constitui uma fonte de pressão inflacionária.

A íntegra do discurso está em:

http://www.bcb.gov.br/pec/appron/apres/Discurso_CMO_Tombini_18-9-2013.pdf

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>