Você viu o Relatório Focus de 29/11/2013?

Esse relatório mostra a expectativa de economistas, principalmente aqueles ligados ao mercado financeiro, para as variáveis mais importantes da economia brasileira. Veja abaixo as previsões.

1. IPCA

A previsão do IPCA para fechamento de 2013 é 5,81% e para 2014 é 5,92%. Desde 2012, esperava-se que a inflação medida pelo IPCA em 2013 fosse próxima de 5,5%. Em março de 2013 as expectativas superaram os 5,80%, chegaram a 5,85% no início de novembro, antes de cederem para 5,81 no final deste mesmo mês. No início de 2013, esperava-se que o IPCA de 2014 fosse 5,5%, em março a previsão começou a subir para chegar próxima aos 6% e fechar novembro com a previsão atual de 5,92%.

2. Dólar

O mercado espera que o dólar feche 2013 em R$ 2,30 e 2014 em R$ 2,40. A média da taxa de câmbio de reais para dólares do ano de 2013 é prevista para R$ 2,17 e a média para 2014 é R$ 2.36. Até maio de 2013, as previsões indicavam taxa de câmbio fecharia 2013 próxima a 2 reais por dólar. Em junho as previsões começaram a subir, chegaram próximas a 2,40 e convergiram para a atual previsão de 2,30 reais por dólar.

3. Taxa Selic

A taxa Selic fechará o ano em 10% e a expectativa para fechamento em 2014 é de 10,50%. A taxa média para 2013 é 8,38% e para 2014 é prevista uma taxa média de 10,31%. Só há um modo de fechar a 10,50% e ter média 10,31%: permanecer em 10% por longo período e depois subir para 10,5% no segundo semestre de 2014. Não parece muito provável que aconteça dessa forma, em todo caso, as previsões mostram que estamos perto do topo.

4. PIB

Os economistas esperam que o produto brasileiro cresça 2,5% em 2013 e 2,11 em 2014. O mercado esperava, no início de 2013, que o crescimento do PIB fosse de 3,5% no ano. Até junho a previsão se manteve acima de 3%, quando iniciou a queda até chegar próxima a 2% e depois voltar para 2,5%.

5. Dívida líquida do setor público

O mercado tem a expectativa que a dívida líquida do governo termine o ano em 34,6% do PIB e encerre 2014 em 34,50%. Não houve grande mudança ao longo desse ano já que, no final de 2012, esperava-se que a dívida líquida se situasse em 34% do PIB. Quanto a 2014, esperava-se que relação dívida líquida PIB se situasse em 33%, no início do ano, e agora no final do ano espera-se que fique em 35%.

Para mais detalhes veja http://www.bcb.gov.br/pec/GCI/PORT/readout/R20131129.pdf

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>