Frações Financeiras 44 – O que são ‘CoCo bonds’?

CoCos são títulos conversíveis contingentes trazidos mais fortemente ao mercado pela adoção de Basileia II. É um título convencional até o momento em vier a ser chamado para compor o capital do banco para absorver perdas que possam inviabilizar a continuidade dos negócios.

Contexto

Bancos são instituições com uma característica que os difere de outras empresas: sua insolvência pode representar risco para o sistema econômico como um todo. Por esse motivo vemos os governos e bancos centrais salvarem instituições com recursos dos contribuintes. O receio de que a falência de um banco propague quebras em cadeia por toda a economia influencia a decisão de usar dinheiro público para resgatar instituições sistemicamente importantes. A crise financeira que se iniciou em 2007 deu muitos exemplos desse fato pelo mundo.

Como Basileia III tenta resolver?

Basileia III busca melhorar a qualidade do capital de modo a garantir a capacidade do capital de absorver perdas. O capital regulatório é uma soma de capital nível 1 e capital nível 2. Capital nível 1 é aquele que absorve perdas enquanto o banco está funcionando normalmente, que é formado principalmente por ações. Capital nível 2 é aquele que passa a cobrir perdas quando a instituição não é mais viável e está a caminho da insolvência. Instrumentos híbridos e subordinados compõem, via de regra, o capital nível 2.

Basileia III determina que híbridos e subordinados podem compor o capital nível 1 contanto que tenham gatilhos automáticos que os convertam em ações ou que os façam ser cancelados.

O que são os CoCos?

CoCos são títulos conversíveis contingentes, ou seja, títulos de dívida do banco que poderão ser transformados e ações caso um gatilho seja acionado, revelando que a instituição está em vias de insolvência. Em outras palavras, os CoCos são títulos convencionais até o momento que ocorrer (se ocorrer) um evento que indique a necessidade de capitalização do banco para fazer frente a perdas que coloquem sua solvência em risco.

Nível 1 ou nível 2?

Os CoCos podem ser considerados capital nível 1 ou nível 2. Para ser considerado nível 1, o título deve ser perpétuo e se tornará capital acionário ou será cancelado, se e quando a instituição emissora enfrentar dificuldades para se capitalizar, mas ainda tenha chances de sobreviver.

Vantagens

O capital contingente, ou seja que pode ou não se tornar capital, tem a vantagem de aumentar o capital do banco exatamente no momento em que ele se encontra com dificuldades de emitir ações. Como são captados em momentos mais tranquilos para a instituição, esse capital evita a emissão atabalhoada quando as dificuldades tornam obstáculos à capitalização.

Para mais informações

Veja The Bucket Stops at CoCos, de Carla Eloy Jatahy, Fabiana Amaral Carvalho e Fernanda Martins Bandeira em http://www.bcb.gov.br/pgbcb/062012/revista_pgbc_v6_n1_jun_2012.pdf

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>