Melhores práticas para seleção de material para educação financeira

O texto, que traduzo abaixo, tem por objetivo indicar as melhores práticas para se elaborar e selecionar materiais didáticos a serem usados em atividades de educação financeiras. O texto foi elaborado para os padrões dos Estados Unidos e precisam, desse modo, sofrer uma readequação para serem seguidos no Brasil. De todo modo, acredito que contribua para inspirar a elaboração das melhores práticas brasileiras.

Material didáticoA Coalizão Jump$tart (1) recomenda as seguintes melhores práticas para o desenvolvimento e seleção de materiais educacionais em finanças pessoais (2).

Objetividade

O material didático deve ser objetivo em relação ao seu conteúdo e à sua linguagem.

O material deve incluir pontos de vista divergentes sempre que adequado.

O material não deve iludir, enganar ou induzir a erros.

O material deve ser informativo e não promover marcas ou provedores de serviços.

O material deve identificar seu criador e conter informações para contato.

O material deve identificar as organizações que financiam substancialmente seu desenvolvimento e disseminação.

O material deve indicar fontes para se obter informações adicionais.

Alinhamento com padrões

O material deve estar correlacionado com um ou mais padrões do documento Jump$tart’s National Standards in K-12 Personal Finance Education, disponível na internet em www.jumpstart.org.

O material deve acompanhar um ou mais padrões de disciplinas nacionais ou estaduais criadas pelas seguintes organizações:

Administração: National Business Education Association

 Economia: Council for Economic Education

Família e Ciências do Consumidor: American Association of Family and Consumer Sciences

Matemática: National Council of Teachers of Mathematics

Estudos Sociais: National Council for the Social Studies

Ensino e Aprendizado

Os materiais de ensino e aprendizado devem usar linguagem simples. Termos técnicos, abreviaturas e siglas devem ser claramente definidos.

O material deve requerer pouca preparação adicional por parte do professor.

O material deve incluir os objetivos de aprendizado do aluno e as ferramentas de avaliação, as informações básicas usadas, os planos de aulas e atividades que estimulem a participação dos alunos.

O material deve despertar o interesse do aluno contemporâneo e identificar formas para ele obter informações adicionais.

Os planos de aula e atividades devem usar vários estilos de aprendizado como visual, oral, tátil e interação em grupo.

As restrições de copyright e termos de uso devem ser claramente estabelecidas.

Público alvo

O material deve identificar o ambiente educacional alvo, como sala de aula tradicional, ensino em casa, atividades extraclasse, em ambiente rural ou urbano, ou outros.

O material deve identificar o usuário-alvo, seja professor, pais ou aluno.

O nível de leitura deve ser apropriado para o grupo alvo.

O material deve refletir diversidade em termos de idade, raça, gênero e renda familiar.

Os textos, ilustrações e atividades de aprendizado devem ser adequadas e devem levar em conta os aspectos culturais do público-alvo. Os textos devem ser traduzidos, se necessário.

Precisão e atualização

O material deve ser revisado regularmente para ser preciso, relevante e atual.

A data da publicação de ser divulgada de modo claro, da mesma forma que as revisões subsequentes.

Disponibilidade e acessibilidade

Os recursos devem ser prontamente disponíveis para professores e alunos

O material disponível pela internet deve poder ser acessado com tecnologia e programas geralmente encontrados em escolas e bibliotecas públicas.

O preço do material, se houver, deve ser claramente informado.

Deve-se identificar de modo claro se o material é disponível em formatos especiais como em outras línguas, em áudio ou  em Braile.

Materiais novos e atualizados devem ser submetidos a Jump$tart Personal Finance Clearinghouse em www.jumpstartclearinghouse.org.

Avaliação

O material deve ser testado antes de publicação, em condições que realisticamente repliquem o ambiente e o público-alvo.

Os comentários de alunos e professores devem ser levados em conta no desenvolvimento e revisão do material.

O material deve incluir ferramentas de avaliação como pré-testes, pós-testes e exemplos de trabalhos classificados como aceitáveis quando for apropriado.

As ferramentas de avaliação devem medir tanto o conhecimento do aluno quanto mudanças comportamentais resultantes do ensino e aprendizado.

(1) A Coalizão Jump$tart para Letramento Financeiro Pessoal é uma organização sem fins lucrativos, com sede em Washington. Como coalizão, é uma organização de organizações que dividem o compromisso de promover o letramento financeiro entre jovens desde a pré-escola até a universidade e de trabalhar colaborativamente para uma efetiva educação financeira. Hoje, a Jump$tart inclui perto de 150 parceiros dos setores empresarial, financeiro, acadêmico, governamental, além de organizações sem fins lucrativos e associações. A Coalizão engloba, ainda, 49 coalizões afiliadas estaduais e seus parceiros locais.

(2) A Coalizão Jump$tart autoriza o uso livre desses padrões para propósitos educacionais. Esta é a segunda edição de 2008 (atualizada em 2010).

 

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>