Quer entender um pouco do imbróglio do balanço da Petrobras?

petrobrasVamos começar com uma analogia?

Você comprou uma casa por R$ 500 mil reais. Depois de um tempo, você descobriu que o corretor recebeu mais do que deveria. Ao invés de receber a corretagem padrão, ele recebeu mais. Sua casa está “contablizada” no seu imposto de renda por R$ 500 mil, mas pode ser que valha menos do que isso porque você descobriu essa história do corretor.

Como proceder?

A melhor forma seria procurar pessoas que trabalham no mercado imobiliário e pedir algumas avaliações da sua casa. Tentando dessa forma descobrir por quanto você conseguiria vender sua casa se assim quisesse.

Contabiliza-se pelo novo valor

Descoberto o valor de mercado você teria uma boa ideia de quanto sua casa realmente vale. Esse processo se chama marcação a mercado, que é tentar descobrir por quanto conseguiríamos nos desfazer de ativos que temos, no nosso exemplo por quanto vendria sua casa. A partir da marcação a mercado contabilizamos o novo valor e a diferença será lançada como prejuízo se a casa valer no mercado menos do os R$ 500 mil ou lucro se o valor de mercado for superior.

Dificuldades adicionais

A dificuldade desse processo aumenta exponencialmente se temos que avaliar uma refinaria. Se tivéssemos muitas negociações envolvendo compras e vendas de refinarias, a solução seria simples. Não é esse o caso.

A Petrobras tem R$ 600 bi de ativos imobilizado, que é constituido por imóveis, refinarias,  plataformas, prédios e todos outros tipos de ativos fixos. Existe a suapeita de que a empresa pagou a mais do que o devido sobre 1/3 desse valor, ou, cerca de R$ 188 bi.

Duas tentativas

Eles tentaram caminhar por dois métodos. Um foi determinar o valor do dinheiro desviado e abater do valor contabilizado do imobilizado. Porém, é impossível saber o quanto foi efetivamente pago a mais. Esse método não se revelou adequado. O outro método é avaliar qual seria o valor justo do imobilizado e compará-lo com o valor contábil. Esse método revelou que entre ativos avaliados para maior e ativos avaliados para menor, a diferença seria de R$ 60 bilhões. Explicando: a consultoria, contratada para reavaliar aqueles ativos que estavam na contabilidade com valor de R$ 188 bi, acha que esses ativos valem cer de R$ 128 bi. Ou seja, que estão contabilizados por R$ 60 bi a mais.

Diminuir o ativo e lançar diferença a prejuízo

A empresa deveria, ao julgar que esse novo número é razoável, colocar em seu balanço que os ativos valem R$ 60 bi a menos e lançar esse valor a prejuízo.

Ocorre, ainda, que esse cálculo tem muita incerteza. Então a diretoria da empresa resolveu divulgar o valor da perda estimada por essas consultorias para dar uma ideia para o mercado e tentar buscar outro método mais confiável. Quando tiver mais segurança do valor a ser jogado para prejuízo a empresa fará isso e seu ativo imobilizado será reduzido desse valor, que pode ser maior ou menor que R$ 60 bi.

As ações na Bolsa hoje

Os operadores do mercado financeiro, que derrubaram o preço da ação em perto de 10%, fizeram a seguinte conta se o ativo da empresa cair 10% de R$ 600 bi para R$ 540 bi, a empresa “perderá” 10% de seu valor. Parece exagerado. Mas o tempo dirá.

About cesarlocatelli

Sócio Diretor da F2 Formação Financeira. Mestre em Economia e Professor de Finanças, Derivativos e Planejamento Financeiroa
This entry was posted in Frações Financeiras. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>