Frações Financeiras 43 – A Calculadora do Cidadão

O que é a Calculadora do Cidadão?

Desenvolvida pelo Banco Central do Brasil, a Calculadora do Cidadão é uma aplicação interativa, de acesso público, que permite simular situações do nosso dia a dia financeiro.  O acesso é gratuito e é possível baixar o aplicativo para celulares e tablets

calculadora2Quais são os serviços disponíveis?

Estão disponíveis os cálculos:

1 de uma aplicação financeira na qual você faz depósitos mensais;

2 de um empréstimo que você fez com prestações fixas;

3 de quanto valerá no futuro um valor de hoje;

4 o cálculo de valor que precisa ser corrigido pela inflação ou por uma taxa de juros e

5 de quanto custa e quanto tempo leva para quitar o cartão de crédito, se você pagar parte da fatura.

Aplicação com depósitos mensais

Imagine que você faz investimentos mensais e de mesmo valor por um certo número de meses, receberá uma determinada taxa de juros e obterá um valor ao final. São, então, quatro informações: número de meses, taxa de juros mensal, valor do depósito regular e valor obtido ao final. Se você informar 3 valores, a calculadora mostrará o quarto valor.

Exemplo:

Preciso de R$ 1.000 daqui a 8 meses para comprar um televisão. Consigo uma taxa de juros mensal de 0,55%. Quanto preciso guardar a cada mês?

Vamos até a calculadora em http://www.bcb.gov.br/?CALCULADORA, clicamos em Aplicação com depósitos regulares. Preenchemos o número de meses com o número 8, a taxa de juros mensal com 0,55 e o valor obtido no final com 1000. Ao pedirmos para calcular o valor do depósito regular que aparecerá será R$ 121,94.

Desse modo, se pouparmos R$ 121,94 por 8 meses com taxa de juros de 0,55% ao mês, teremos no final R$ 1.000.

Financiamento com prestações fixas

Vamos agora para a situação um valor que tomamos emprestado e pagaremos em mensalidade iguais, considerando uma determinada taxa de juros, por certo número de meses. O cálculo considera juros compostos e capitalização mensal. São, então, quatro informações: número de meses, taxa de juros mensal, valor da prestação e valor financiado. Se você informar 3 valores, a calculadora mostrará o quarto valor.

Exemplo

Ao invés de guardar dinheiro, queremos comprar uma televisão agora por R$ 1.000 e pagar em 8 parcelas, a taxa que vai ser cobrada é de 2% ao mês. Qual será a prestação?

Vamos até a calculadora em http://www.bcb.gov.br/?CALCULADORA, clicamos em Financiamento com prestações fixas. Preenchemos o número de meses com o número 8, a taxa de juros mensal com 2 e o valor financiado com 1000. Ao pedirmos para calcular o valor da prestação aparecerá R$ 136,51.

Desse modo, se pouparmos pagaremos R$ 121,94 por 8 meses e teremos R$ 1.000 no final. Se financiarmos teremos R$1.000 hoje, mas pagaremos R$ 136,51 em 8 vezes.

Valor futuro de um capital

É a situação que um valor atual é projetado no futuro, considerando uma determinada taxa de juros, obtendo um valor ao fim de um número de meses.

Quatro informações estão envolvidas: Nº de Meses, Taxa de Juros Mensal, Capital Atual e Valor Obtido ao Final. Informando três e clicando em calcular obteremos a quarta informação.

Exemplo

Você emprestou a quantia de R$ 800,00 para um amigo. Acertou que ele pagará no prazo de 6 meses a quantia de R$ 950,00. Qual é a taxa de juros que ele vais pagar?

Entramos na calculadora em http://www.bcb.gov.br/?CALCULADORA, clicamos em Valor futuro de um capital. Fazemos Nº de meses = 6, Capital atual = 800 e Valor obtido ao final = 950. Ao clicar em ‘Calcular’ para obter a taxa de juros mensal, encontramos 2,9055 %.

Correção de valores

Para atualizarmos valores vamos precisar corrigir por índices de inflação ou por taxas de juros coma a poupança, a TR, a taxa Selic ou a Taxa do CDI. Ao entrarmos na calculadora em http://www.bcb.gov.br/?CALCULADORA, clicamos em Correção de Valores e devemos escolher o índice de preços ou a taxa de juros que queremos.

Índices de preços

Podemos corrigir o valor que quisermos pelo IPCA, pelo IGPM ou por outros 5 índices de inflação. Primeiro selecionamos o índice e depois acrescentamos as datas inicial e final. Por fim, colocamos o valor a atualizar. Clicamos em corrigir valor e teremos o valor corrigido pelo índice selecionado no prazo que pedimos.

Exemplo.

O aluguel de minha casa é R$ 500 e é necessário corrigir de novembro/2012 até outubro/2013 para saber qual é o novo aluguel.

Entramos na calculadora em http://www.bcb.gov.br/?CALCULADORA, clicamos em Correção de Valores e selecionamos índices de Preços e IGPM. Fazemos data inicial 11/2012 e data final 10/2013. Em valor corrigido colocamos R$ 500 e clicamos em corrigir valor. Obtemos R$ 526,36 e vemos que a correção foi de 5,2726 % no período 01 de novembro de 2012 até 31 de outubro de 2013.

Valores corrigidos por outras taxas

Além de corrigir valores por índices de inflação, a Calculadora do Cidadão também atualiza valores pela Taxa Referencial, pala taxa da Poupança, pela taxa Selic e pela taxa do CDI. Vamos ver a que se refere cada uma dessas taxas.

Taxa Referencial

A Taxa Referencial é uma taxa obtida a partir das médias dos CDBs de 30 dias a taxas pré-fixadas praticadas por bancos comerciais.

Poupança

Os rendimentos da poupança são creditados mensalmente, na data equivalente à data de aplicação.

Selic

Utiliza para correção a taxa apurada no Selic. Esta taxa é obtida mediante o cálculo da taxa média ponderada e ajustada das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais.

CDI

Depósito Interfinanceiro. É uma operação realizada exclusivamente entre instituições financeiras, para permitir a troca de reservas bancárias entre elas.

Exemplo

Você quer saber o valor que R$ 100 terá ao ser corrigido pelo CDI de 01/01/2013 até 06/11/2013. Entramos na calculadora em http://www.bcb.gov.br/?CALCULADORA, clicamos em Correção de Valores e selecionamos CDI. Fazemos data inicial 01/01/2013 e data final 06/11/2013. Em valor a ser corrigido colocamos R$ 100 e clicamos em corrigir valor. Obtemos R$ 106,58 e vemos que a correção foi de 6,58 % no período 01 de janeiro de 2013 até 06 de novembro de 2013.

Cartão de Crédito

Essa funcionalidade da Calculadora do Cidadão permite calcular quanto custa e quanto tempo leva para quitar o cartão de crédito, se você pagar parte da fatura. Além disso, nos permite a comparação com outros tipos de crédito como o consignado e o crédito pessoal.

Entramos na calculadora em http://www.bcb.gov.br/?CALCULADORA, clicamos em Cartão de Crédito. Devemos colocar o valor da fatura, o Custo Efetivo Total – CET e o valor que pretendemos pagar por mês.

Vamos supor que recebemos uma fatura de R$ 850, que o CET é 7,5% ao mês e queremos pagar R$ 135 por mês. Ao clicarmos em Calcular, vemos que precisaremos de 8 parcelas para quitar essa fatura e que pagaremos no total R$ 1.079,93, ou seja, R$ 229,93 de juros.  Vemos ainda a comparação com outros tipos de crédito.

Para saber mais veja http://www.bcb.gov.br/?CIDADAO e textos do blog http://www.f2br.com/cesarlocatelli .

Posted in Frações Financeiras | Leave a comment

Os sete pecados capitais do investidor do Wall Street Journal

pecados capitaisDiferentemente dos sete pecados capitais da revista Kiplinger que publiquei, o Wall Street Journal também faz a sua lista, baseada nas recentes pesquisas de finanças comportamentais. Vamos ver quais são os pecados.

“Luxúria: Tentar repetir o desempenho recente”

Entramos na bolsa depois de grandes altas, compramos dólares depois de grande desvalorização do real, da mesma forma que fazemos seguros depois de grandes acidentes.

“Orgulho: Excesso de confiança”

Imaginamos que somos mais espertos do que os outros em descobrir grandes oportunidades de negócio. É saudável nos darmos conta da quantidade de pessoas que trabalham o dia inteiro nos mercados e, mesmo assim, tem dificuldades para ganhar dinheiro.

“Preguiça: Ignorar custos”

Qual é a taxa de administração daquele fundo no qual você tem dinheiro? Via de regra não saberemos responder.

“Inveja: Querer ser parte do clube”

Qual é o melhor investimento do momento? A resposta correta deveria ser: depende de você, dos seus objetivos, do seu apetite de risco, do seu horizonte, do seu patrimônio, entre outros fatores. O clube onde todos estão pode não ser o melhor para você.

“Ira: Não reconhecer o fracasso”

Ficamos tempo demais com investimentos perdedores e tempo de menos com investimentos ganhadores. A razão é que é mais doloroso perder do que é prazeroso ganhar. Por isso ficamos muito tempo na esperança de recuperar.

“Gula: Viver apenas para o dia de hoje”

A menos que tenhamos nascido em uma família rica, só teremos dinheiro se conseguirmos guardar e investir parte do que ganhamos.

“Ganância: Seguir o rebanho”

Quando todas as manchetes falam da alta, é boa hora para se pensar em sair do mercado.

 Veja mais em: http://on.wsj.com/15FOLjU

O resumo dos sete pecados da Kiplinger: http://www.f2br.com/cesarlocatelli/?p=859

Posted in Frações Financeiras | Leave a comment

Resumo da ata Copom – outubro de 2013 – 178ª Reunião

monetáriaO dado mais importante da ata parece ser que “a média das variações mensais das medidas de inflação subjacente, calculadas pelo Banco Central, passou de 0,41% em agosto para 0,46% em setembro”.

As medidas de inflação subjacente são tentativas de, por diferentes métodos, verificar o núcleo da inflação que é o dado que realmente importa. O núcleo, assim, será composto por aqueles preços não sujeitos a fatores casuais ou temporários.

Uma variação grande, por exemplo, do preço do tomate, importa para a inflação divulgada ao público, mas não representa risco de contaminação de todos os preços para os meses subsequentes. Nos cálculos do núcleo, essas variações isoladas são retiradas para se descobrir o comportamento da maior parte dos preços sem os efeitos de variação fora do “normal”.

Inflação

“Em síntese, a inflação de monitorados recua, ao mesmo tempo, a de não comercializáveis segue elevada, e a de comercializáveis, em elevação.”

“O índice de difusão ficou em 57,8% em setembro (ante 66,3% no mesmo mês do ano anterior).”

Atividade

“O Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre superou em 2,6% o registrado no primeiro semestre de 2012, e a taxa de crescimento acumulada ao longo dos quatro últimos trimestres alcançou 1,9%.”

“O consumo das famílias cresceu 2,3% em relação ao mesmo trimestre de 2012. Essa foi a trigésima nona expansão consecutiva na comparação interanual.”

“O ritmo de crescimento da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) apontou expansão de 3,6% na margem, e de 9,0% em relação ao segundo trimestre de 2012, indicando aumento na taxa de investimento da economia.”

Crédito

“Para o quarto trimestre de 2013, a expectativa de manutenção do volume de concessões de novas operações de crédito, tanto para o segmento de grandes empresas, como para o de micro, pequenas e médias empresas.”

“Igualmente, em relação ao crédito às pessoas físicas, a análise sugere certa estabilidade no ritmo de concessões das linhas de crédito voltadas ao consumo.”

“Já para o crédito habitacional, que possui maior componente inercial, é esperada elevação nos níveis de concessão.”

Inadimplência

“A taxa de inadimplência do sistema financeiro, correspondente às operações com atraso superior a noventa dias, situou-se em 3,3% em agosto, estável em relação a julho e com queda de 0,6 p.p. em relação a agosto de 2012.”

“Os indicadores referentes às operações com pessoas físicas e jurídicas atingiram 4,8% e 2%, respectivamente, em agosto.”

Indústria

“A produção física [da indústria] nos oito primeiros meses do ano superou em 1,6% a registrada no mesmo período do ano anterior, com destaque positivo para a produção de veículos automotores que expandiu 11,0% nessa base de comparação. “

“Já de acordo com dados divulgados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o faturamento real da indústria de transformação cresceu 4,6% nos oito primeiros meses do ano, comparativamente ao mesmo período do ano anterior, enquanto o número de horas trabalhadas não variou.”

“No que se refere ao crescimento acumulado em doze meses até agosto, houve avanço de 4,6% na produção de bens de capital e de 3,2% na produção de bens de consumo duráveis. Por sua vez, a produção de bens de consumo semiduráveis e não duráveis avançou 0,2%, e a de bens intermediários recuou 0,2%, nessa base de comparação.”

Desemprego

“De acordo com a série dessazonalizada pelo Banco Central, a taxa de desocupação em agosto atingiu novamente o mínimo da série histórica (5,3%), iniciada em março de 2002.

“Dados disponíveis indicam estreita margem de ociosidade no mercado de trabalho, embora existam alguns sinais de moderação na margem.”

“No mercado de fatores, o Copom destaca a estreita margem de ociosidade no mercado de trabalho e pondera que, em tais circunstâncias, um risco significativo reside na possibilidade de concessão de aumentos de salários incompatíveis com o crescimento da produtividade e suas repercussões negativas sobre a inflação. Não obstante sinais de moderação, o Comitê avalia que a dinâmica salarial permanece originando pressões inflacionárias de custos.”

Comércio

“Em doze meses, a taxa de crescimento do comércio ampliado alcançou 5,8%, com expansão em todos os dez segmentos pesquisados. “

Balança de pagamentos

“O deficit em transações correntes, acumulado em doze meses, atingiu US$80,6 bilhões em agosto, equivalente a 3,6% do PIB. Já os investimentos estrangeiros diretos totalizaram US$61,1 bilhões em doze meses até agosto, equivalentes a 2,7% do PIB.”

Reservas internacionais

“As reservas internacionais no conceito de liquidez, que inclui linhas com recompra, totalizaram US$376 bilhões em setembro, aumento de US$3,2 bilhões no mês e redução de US$2,6 bilhões no ano.

“Em setembro, o fluxo de operações de linhas com compromisso de recompra somou vendas líquidas de US$1,6 bilhão, enquanto o estoque totalizou US$7,4 bilhões.”

Leilões de swap cambial

“No período de 27 de agosto a 7 de outubro, o Banco Central realizou leilões de swap cambial tradicional com vencimentos entre novembro de 2013 e outubro de 2014.”

“Em 7 de outubro, o saldo líquido passivo em câmbio do Banco Central, nesse instrumento, alcançou o equivalente a US$55,5 bilhões em valor nocional.”

Economia global

“Na economia global, ainda prevalece cenário de baixo crescimento neste ano em importantes economias maduras, notadamente na Zona do Euro, e indicadores de volatilidade respondem às perspectivas de mudanças na política monetária e aos impasses na política fiscal dos Estados Unidos.”

“Altas taxas de desemprego na Europa, aliadas aos esforços de consolidação fiscal e a incertezas políticas, traduzem-se em recuo dos investimentos e em baixo crescimento.”

Conclusão

“O Copom pondera que a elevada variação dos índices de preços ao consumidor nos últimos doze meses contribui para que a inflação ainda mostre resistência.”

“Nesse contexto, inserem-se também os mecanismos formais e informais de indexação e a percepção dos agentes econômicos sobre a dinâmica da inflação.”

“Tendo em vista os danos que a persistência desse processo causaria à tomada de decisões sobre consumo e investimentos, na visão do Comitê, faz-se necessário que, com a devida tempestividade, o mesmo seja revertido.”

“Diante disso, dando prosseguimento ao ajuste da taxa básica de juros, o Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa Selic para 9,50% ao ano, sem viés. O Comitê avalia que essa decisão contribuirá para colocar a inflação em declínio e assegurar que essa tendência persista no próximo ano.”

 Próxima reunião

“Ao final da reunião, foi registrado que o Comitê voltará a se reunir em 26 de novembro de 2013, para as apresentações técnicas, e no dia seguinte, para deliberar sobre a política monetária, conforme estabelecido pelo Comunicado nº 22.665, de 27 de junho de 2012.”

Posted in Frações Financeiras | 1 Comment

10 pontos para conhecer Janet Yellen, provável nova presidenta do Fed

1 Foi orientada no doutorado em Yale por James Tobin.

2 É casada com George Akerlof, prêmio Nobel de economia em 2001, por seu artigo “markets for lemons” em que questionava a eficiência dos mercados.

3 Foi a diretora do Fed que mais acertou as previsões de crescimento, desemprego e inflação dos último anos, segundo análise do Wall Street Journal.

4 É firme defensora da política monetária atual de compra de ativos para ajudar a reativar a economia.

5 Grande parte de sua pesquisa foca custos e causas do desemprego.

6 Teve papel preponderante quando Fed passou a estabelecer as metas, em janeiro de 2012, de 2% de inflação no longo prazo e entre 5,2% e6% de desemprego.

7 Sua caminhada para a presidência do Fed começo em 1976.

8 Defende que bancos sistemicamente importantes cheguem a ter mais capital do que o exigido pelo acordo de Basileia III.

9 Acredita que a habilidade do Fed de influenciar as condições econômicas depende de sua habilidade de moldar as expectativas sobre o futuro.

10. Considera uma revolução a compreensão de que o modo de comunicar pode influenciar a efetividade da política monetária.

Posted in Frações Financeiras | Leave a comment